Biohacker faz pagamentos com chip implantado em sua mão

Um biohacker da Holanda implantou um chip em sua mão, que o possibilita realizar pagamentos por aproximação em terminais de pagamentos (via BBC News).

Patrick Paumen consegue fazer pagamentos com um chip implantado em sua mão esquerda desde de 2019.

“As reações que recebo dos caixas são impagáveis!” diz Paumen, um guarda de segurança da Holanda.

As transações são realizadas através da comunicação de campo próximo (NFC), que é a mesma usada por cartões bancários, smartphones e smartwatches, capazes de realizar pagamentos por aproximação.

Para efetuar um pagamento, Paumen precisa aproximar sua mão esquerda de um terminal de pagamento, quando perto de um terminal o chip acende uma luz, indicando que a transação pode ser efetuada.

Ele explicou que o procedimento para o implante do chip é semelhante a um belisco no local.

Embora haja preocupação sobre se uma pessoa pode ser rastreada por meio de tais chips, Paumen não está preocupado.

Ele explicou que, assim como os chips de identificação por radiofrequência (RFID) usados ​​para identificar animais de estimação quando eles são perdidos, qualquer pessoa que deseje identificá-lo precisaria escanear sua mão.

Paumen também tem ímãs implantados em seus dedos

Paumen se descreve como um “biohacker”, alguém implanta tecnologia em seu corpo para tentar melhora-lo. Ele tem 32 implantes no total, incluindo chips para abrir portas e ímãs embutidos nos dedos.

Para implantar chips como o que Paumen tem na mão, primeiro eles precisam ser encapsulados em um bioplástico.

“Essa tecnologia é usada em animais há anos”, argumenta. “São objetos muito pequenos e inertes. Não há riscos.”

“Sempre haverá pessoas que não querem modificar seu corpo. Devemos respeitar isso, e eles devem nos respeitar como biohackers.” diz Paumen.

Um biohacker da Holanda implantou um chip em sua mão, que o possibilita realizar pagamentos por aproximação em terminais de pagamentos (via BBC News).

Patrick Paumen consegue fazer pagamentos com um chip implantado em sua mão esquerda desde de 2019.

“As reações que recebo dos caixas são impagáveis!” diz Paumen, um guarda de segurança da Holanda.

As transações são realizadas através da comunicação de campo próximo (NFC), que é a mesma usada por cartões bancários, smartphones e smartwatches, capazes de realizar pagamentos por aproximação.

Para efetuar um pagamento, Paumen precisa aproximar sua mão esquerda de um terminal de pagamento, quando perto de um terminal o chip acende uma luz, indicando que a transação pode ser efetuada.

Ele explicou que o procedimento para o implante do chip é semelhante a um belisco no local.

Embora haja preocupação sobre se uma pessoa pode ser rastreada por meio de tais chips, Paumen não está preocupado.

Ele explicou que, assim como os chips de identificação por radiofrequência (RFID) usados ​​para identificar animais de estimação quando eles são perdidos, qualquer pessoa que deseje identificá-lo precisaria escanear sua mão.

Paumen também tem ímãs implantados em seus dedos

Paumen se descreve como um “biohacker”, alguém implanta tecnologia em seu corpo para tentar melhora-lo. Ele tem 32 implantes no total, incluindo chips para abrir portas e ímãs embutidos nos dedos.

Para implantar chips como o que Paumen tem na mão, primeiro eles precisam ser encapsulados em um bioplástico.

“Essa tecnologia é usada em animais há anos”, argumenta. “São objetos muito pequenos e inertes. Não há riscos.”

“Sempre haverá pessoas que não querem modificar seu corpo. Devemos respeitar isso, e eles devem nos respeitar como biohackers.” diz Paumen.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

VEJA TAMBÉM