Hackers atacam plataformas russas e smart TVs para exibir mensagens antiguerra

No mesmo dia em que a Rússia celebrou seu papel na derrota da Alemanha nazista, várias plataformas online do país foram desfiguradas por hackers, em protesto contra a guerra na Ucrânia. O Washington Post informou na segunda-feira que russos com TVs inteligentes viram listas de canais substituídas por uma mensagem que os implicava no conflito em andamento. “O sangue de milhares de ucranianos e centenas de crianças assassinadas está em suas mãos”, dizia a mensagem, segundo o veículo. “A TV e as autoridades estão mentindo. Não à guerra.”

Além de smart TVs, o suposto hack teve como alvo algumas das maiores empresas de internet do país, incluindo a Yandex. Os hackers também foram atrás do Rutube, a alternativa russa ao YouTube. “Nossa hospedagem de vídeo sofreu um poderoso ataque cibernético. No momento, não é possível acessar a plataforma”, disse o serviço em comunicado publicado em seu canal no Telegram. Rutube afirmou mais tarde que havia isolado o ataque e que sua biblioteca de conteúdo não foi acessada no incidente.

Desde que a Rússia lançou sua invasão da Ucrânia em 24 de fevereiro, o país está sob ataque consistente de hackers. Nos primeiros dias do conflito, o Anonymous se responsabilizou por uma série de ataques DDoS que deixaram vários sites oficiais do governo, incluindo um pertencente ao Ministério da Defesa, inacessíveis. Acredita-se que o Anonymous também foi responsável por um incidente que viu vários canais de TV estatais russos tocarem o hino nacional ucraniano. Ao mesmo tempo, a Ucrânia, com a ajuda da Microsoft e de outras empresas ocidentais, conseguiu recentemente, evitar Hackers militares russos de interromperem um dos fornecedores de energia do país.

No mesmo dia em que a Rússia celebrou seu papel na derrota da Alemanha nazista, várias plataformas online do país foram desfiguradas por hackers, em protesto contra a guerra na Ucrânia. O Washington Post informou na segunda-feira que russos com TVs inteligentes viram listas de canais substituídas por uma mensagem que os implicava no conflito em andamento. “O sangue de milhares de ucranianos e centenas de crianças assassinadas está em suas mãos”, dizia a mensagem, segundo o veículo. “A TV e as autoridades estão mentindo. Não à guerra.”

Além de smart TVs, o suposto hack teve como alvo algumas das maiores empresas de internet do país, incluindo a Yandex. Os hackers também foram atrás do Rutube, a alternativa russa ao YouTube. “Nossa hospedagem de vídeo sofreu um poderoso ataque cibernético. No momento, não é possível acessar a plataforma”, disse o serviço em comunicado publicado em seu canal no Telegram. Rutube afirmou mais tarde que havia isolado o ataque e que sua biblioteca de conteúdo não foi acessada no incidente.

Desde que a Rússia lançou sua invasão da Ucrânia em 24 de fevereiro, o país está sob ataque consistente de hackers. Nos primeiros dias do conflito, o Anonymous se responsabilizou por uma série de ataques DDoS que deixaram vários sites oficiais do governo, incluindo um pertencente ao Ministério da Defesa, inacessíveis. Acredita-se que o Anonymous também foi responsável por um incidente que viu vários canais de TV estatais russos tocarem o hino nacional ucraniano. Ao mesmo tempo, a Ucrânia, com a ajuda da Microsoft e de outras empresas ocidentais, conseguiu recentemente, evitar Hackers militares russos de interromperem um dos fornecedores de energia do país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

VEJA TAMBÉM