São Paulo – SP 12/5/2021 – “Diferentes perfis de pacientes necessitam de diferentes tipos de tratamento. Nossa luta é por todos”.

Colabore Com o Futuro, ONGs e parlamentares engajados na causa lançam manifesto para divulgar a importância de inserir todas as terapias disponíveis e eficazes para os pacientes

O melanoma é o tipo mais agressivo de câncer de pele. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), neste ano, 8,5 mil brasileiros devem receber o diagnóstico da doença. Existem dois tipos de tratamento inovadores e muito eficazes já aprovados no Brasil – imunoterapia e terapia-alvo. No Sistema Único de Saúde (SUS), no entanto, apenas tratamentos quimioterápicos estão disponíveis para os pacientes.

Recentemente, a Conitec (Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde) avaliou as terapias atualmente disponíveis no país para o tratamento do melanoma metastático e recomendou a incorporação das imunoterapias. Nenhuma recomendação oficial foi feita para as terapias-alvo, apesar de terem reconhecido a importância da disponibilização para tratamento dos pacientes no SUS.

“Diferentes perfis de pacientes necessitam de diferentes tipos de tratamento. Nossa luta é por todos”, ressalta a advogada e cofundadora da Colabore com o Futuro, Andrea Bento. Por isso, foi criado um manifesto para divulgar a importância de inserir todas as terapias disponíveis e eficazes no tratamento do melanoma metastático.

O câncer de pele é um dos mais comuns no Brasil, representando 30% dos tumores malignos diagnosticados. O melanoma é o tipo menos frequente, mas é o mais grave, correspondendo a 4% do total de casos e 90% do total de mortes relacionadas à doença.

“O objetivo de nossa campanha é informar a sociedade sobre a doença e seus tratamentos. Queremos que as imunoterapias e terapias-alvo sejam inseridas nas diretrizes diagnósticas e terapêuticas como opções para primeira linha de tratamento do melanoma metastático”, destaca Andrea.

A escolha dos medicamentos ficaria sob responsabilidade dos hospitais oncológicos espalhados pelo Brasil, norteada pelas Diretrizes Diagnósticas e Terapêuticas (DDT). O próprio INCA explica em seu portal que “quando há metástase (o câncer já se espalhou para outros órgãos), o melanoma, hoje, é tratado com novos medicamentos, que apresentam altas taxas de sucesso terapêutico”.

Os detalhes da campanha “Melanoma: a luta é por todos” e a íntegra do manifesto estão disponíveis em https://www.alutaeportodos.com

A iniciativa da Colabore Com o Futuro conta com o apoio do Instituto Vencer o Câncer, Melanoma Brasil, Projeto Camaleão, Frente Parlamenta de Apoio de Combate ao Câncer da Assembleia Legislativa de São Paulo, Frente Parlamenta em Prol da Luta contra o Câncer da Câmara dos Deputados e a Frente Parlamentar Mista da Saúde do Congresso Nacional.

Website: https://www.colaborecomofuturo.com/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui