InícioNotíciasCabos de internet submarinos podem monitorar atividade sísmica, prever terremotos e muito...

Cabos de internet submarinos podem monitorar atividade sísmica, prever terremotos e muito mais

-

A vasta e densa rede submarina de cabos que fornecem internet ao mundo também pode ser usada para monitorar a atividade sísmica. De fato, um desses cabos já detectou um terremoto, provando assim que a tecnologia funciona.

Os mares e oceanos do mundo são enormes e, preocupantemente, a maior parte da área submarina ainda não é monitorada ativamente. Com apenas alguns sensores dedicados, ainda há um enorme déficit de dados geofísicos atualizados regularmente. Isso pode mudar devido a um novo avanço.

Um artigo publicado recentemente afirma que um novo método transforma os cabos submarinos de telecomunicações em uma série de sensores. A equipe por trás da inovação até provou que a tecnologia pode detectar terremotos e outras atividades oceânicas pelo mundo, como ondas e correntes.

A técnica que apresentamos tem o potencial de transformar nossas capacidades de monitoramento da Terra. O fundo do mar poderia ser instrumentado com milhares de [tais] sensores sem modificar a infraestrutura de telecomunicações submarina existente.

A equipe estava se referindo a seções de um cabo submarino formado por amplificadores e repetidores. Quase todos os cabos atualmente colocados no fundo do oceano possuem esses instrumentos que garantem que os fluxos de dados tenham energia suficiente para atravessar com segurança e confiabilidade. Esses repetidores estão localizados de 45 a 90 km ao longo do comprimento de um cabo. Eles separam os cabos em “vãos” mais curtos. A equipe contou com esses intervalos individuais entre repetidores espalhados por toda a conexão transatlântica.

O método, se ou quando implantado globalmente, pode oferecer milhares de sensores ambientais permanentes em tempo real no fundo do oceano usando hardware preexistente. A assimilação do novo método com redes baseadas em sismógrafos preexistentes expandiria muito a infraestrutura global de monitoramento de terremotos.

É interessante notar que a inovação não requer nenhuma alteração ou acréscimo na infraestrutura submarina. Isso torna a solução extremamente acessível, escalável e de rápida implementação.

A equipe está confiante de que pode até expandir sua tecnologia para monitorar e entender outros fenômenos naturais, como fluxos de águas profundas, mudanças de temperatura no fundo do mar a longo prazo e assim por diante. Tais usos são possíveis devido à alta sensibilidade do cabo de fibra óptica.

Os cientistas sempre travaram uma guerra perdida contra o enorme investimento inicial necessário para implantar sensores que monitoram o clima. No entanto, a nova inovação poderia facilmente contribuir para a construção de modelos climáticos precisos e de longo prazo por uma fração dos custos usuais.

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR

BD Vasco é a campeão da C.O.P.A. FF: “Corrida do Milhão”

A BD Vasco é a equipe campeã da C.O.P.A. FF: Corrida do Milhão. A equipe levou o título e o prêmio de R$ 1 milhão na final,...

CD PROJEKT RED celebra seus 20 anos!

Em 1º de julho de 2022, a CD PROJEKT RED comemora seu 20º aniversário, marcando duas décadas desde que o estúdio entrou no cenário de...

YouTube reprime spam de comentários e contas falsas

O YouTube adicionou uma nova configuração para criadores de conteúdo para ajudá-los a reduzir o número de spammers e imitadores que enganam seus assinantes. Os canais...

Blizzard Entertainment anuncia aquisição do estúdio Proletariat

A Blizzard Entertainment anunciou hoje (1º) a aquisição do estúdio Proletariat, sediado em Boston, para melhor servir à comunidade de World of Warcraft®, premiado jogo...

Confira também